1 de maio: O que temos pra comemorar?

Por Ricardo Noronha

O dia do trabalhador que se comemora hoje, primeiro de maio, é atípico. Vejo que é a primeira vez na história que se comemora o TRABALHADOR e não seu SINDICATO, que havia atrelado a benesses oriundas do estado, que financia, além da arrecadação obrigatória na sua folha salarial, mesmo não oferecendo contrapartida ao trabalhador. Aliás essa é uma boa pergunta: qual vantagem você recebeu do seu sindicato? Certamente a resposta será algo parecido com zero.

Bolsonaro deu fim ao Ministério do Trabalho, aquele mesmo comandado por Carlos Luppi (PDT) e Roberto Jefferson/e sua filha (PTB). Só escândalos de corrupção, nada mais. O trabalhador, na verdade, levava apenas a FAMA. Claro que em outrora, até mesmo bem próximo, época do Brizolla e de Darcy Ribeiro (UnB), tínhamos boas referencias do PDT. Carlos Luppi é um pulha, pelego dos governos passados. Roberto Jefferson denunciou a EBCT, no caso do mensalão. Depois, foi condenado por práticas ilícitas. Sua filha, bem, essa nem merece comentários. Que Ministério de Trabalho é esse? Seria uma espécie de Ministério da Cultura Rouanet? Desse jeito o trabalhador está ferrado!

BOLSONARO chegou para mudar tudo isso! ELE foi eleito pela renovação que o eleitor pediu nas urnas de 2018. Terá que cumprir rigorosamente sob pena de ser condenado perante a opinião publica que o consagrou como mito. A indicação de Paulo Guedes para a economia, englobando o trabalho é justa. O ministro está preparado, é o nome certo no lugar certo e preparadíssimo para conduzir a pasta da economia e outras que foram incorporadas. Sergio Moro é outro tiro de 10 que Bolsonaro fez. Ex Juiz Federal, comandante da Lava Jato, personalidade reconhecida mundialmente. Ministro da Justiça e Segurança Nacional. Não vejo nenhum outro nome mais preparado para o exercício dessa função que Sergio Fernando Moro ocupa. O problema, que ao meu ver é até bom, é que a “esquerda” quer por que quer criticar tudo que for de beneficio para o Brasil e TEM GENTE que apoia! Ora, convenhamos, quem é contra o Brasil? A esquerda que diz defende-lo. Defender de quem? Quem apoia a politica de destruição e fome da Venezuela pode defender o nosso Brasil? Meu poupe, por favor.

Então, caros TRABALHADORES BRASILEIROS, aqueles que saem de casa cedo, seja no campo ou na cidade, paga seus impostos em dia e ajuda a manter esse sistema nefasto, mas ajuda, até de forma obrigatória, sob pena de ver o seu nome na divida ativa, TEMOS SIM, o que comemorar! Vamos comemorar a OPORTUNIDADE que nos foi dada para RENOVAR A ESPERANÇA NO BRASIL. E não vai ser TORCENDO CONTRA que a gente vai conseguir.

FELIZ DIA DOS TRABALHADORES! SEM SINDICATOS E SEM PELEGOS!

*RICARDO NORONHA é jornalista e apresentador do SOS Brasília.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter

2 respostas

  1. Desculpe-me amigo Ricardo Noranha, nem todos do sindicato são pelegos, como nem todos da política são ladrões. Os trabalhadores é vítima de tudo que vem acontecendo no Brasil. As vitimas ao ser libertadas não pode ser criminalizadas como está acontecendo neste governo Bolsonaro, quando ao apresentar uma reformas da previdência com maldades contra os trabalhadores menores, privilegiando certas categorias bastante privilegiada como na justiça, na carreira militar e etc. Seria bom que tomassem vergonhas na cara, respeitando as filas nos hospitais e etc….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *