Jovens socioeducandos de Planaltina recebem prêmio de melhor curta-metragem

Curta-metragem intitulado “Palavras em Liberdade” segue agora para competição no Rio de Janeiro

DANIELA BRITO, DA AGÊNCIA BRASÍLIA

“Palavras em Liberdade” agora vai concorrer em festival no Rio de Janeiro | Foto: Acácio Pinheiro / Agência Brasília

Alunos que cumprem medida socioeducativa na Unidade de Internação de Planaltina (UIP) foram os vencedores do II Festival de Filmes de Curta-Metragem das escolas públicas daquela região administrativa. O concurso tem o objetivo de incentivar o protagonismo de estudantes que, com a mediação dos professores, produzem filmes de até cinco minutos. A premiação foi realizada na última quarta-feira (28).

Com a vitória, o vídeo “Palavras em Liberdade” (veja o vídeo ao final desta reportagem) segue agora para a disputa no Festival Internacional Pequeno Cineasta, no Rio de Janeiro, em data ainda a ser divulgada. O curta-metragem conta a história de jovens que entraram na vida do crime e escrevem cartas com ensinamentos para seus filhos no futuro.

Um dos adolescentes que se empenharam na produção tem 17 anos e está há um ano e meio recluso. Ele conta que viu com surpresa a primeira colocação na competição.

“Quem sabe no futuro não será esta a minha profissão?”, reflete um dos socioeducandos | Foto: Acácio Pinheiro / Agência Brasília

“Às vezes nem nós acreditamos no nosso potencial. Além de estarmos felizes com o ensinamento que tivemos em relação à produção de vídeo, nós aprendemos a confiar que somos capazes. Hoje eu pretendo ficar em dia com a Justiça. Quem sabe no futuro não será esta a minha profissão?”, reflete.

Academia

Ao todo, 12 filmes das escolas de Planaltina concorreram ao prêmio. Para a produção do material o professor de arte visual da UIP, Rodrigo Xavier Lara, conta que foram aplicadas aulas de construção de roteiro, escrita das cartas, oficina de filmagem, locação e edição.

“Eles têm o costume de escrever carta aos seus familiares. E eu peguei esse gancho para que eles pudessem fazer uma reflexão maior sobre essa necessidade da responsabilização que o sistema socioeducativo pede pelos atos. O vídeo foi simples, mas muito verdadeiro”, aponta o educador.

O evento é produzido pela Coordenação Regional de Ensino de Planaltina, que acompanha as escolas durante todo o ano e incentiva a produção de oficinas com câmeras, smartphones e um curso semestral. No caso dos alunos que cumprem medida socioeducativa, os equipamentos usados foram apenas máquinas fotográficas semiprofissionais e microfones. Nenhum tipo de equipamento com conexão telefônica e digital foi permitido, como determina a lei.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *