Segurança de evento samba com moradora de rua no DF para convencê-la a sair do palco

Fato ocorreu em festa no Setor Comercial Sul, área central de Brasília. ‘Tentei fazer o meu melhor’, diz segurança.

Por Marília Marques, G1 DF

Uma cena de gentileza conquistou o coração e os “likes” dos internauta nesta semana. Um vídeo gravado em uma festa no último sábado (31), em Brasília, mostra o momento em que a segurança do evento dança, de mãos dadas, com uma moradora de rua para convencê-la a sair de cima do palco.

A abordagem humanizada da segurança chamou a atenção de quem estava no local. Nas imagens, Juliana da Cruz, de 34 anos, samba e dá rodopios com a mulher.

“Tentei fazer meu melhor.”

Juliana, que assumiu a função há três meses, contou ao G1 que decidiu “priorizar o respeito” ao se aproximar. “Como ela estava dançando, pensei que não chegaria esbarrando”, conta.

Para a profissional, “foi uma ação simples”. Quem pediu para que ela tirasse a mulher do palco foi um dos responsáveis pelo evento, Érico Grassi. “Ele me disse para ‘chegar com jeitinho’, e eu fui”.

Juliana disse que não imaginava a repercussão.

“Sambei para conseguir chegar junto, interagir… Foi aí que ela sorriu pra mim. Nem precisei tirar, ela mesma foi saindo.”

Gentileza e evento gratuito

A festa Canteiro do Samba é um evento gratuito que ocorre uma vez por mês no Setor Comercial Sul, na área central de Brasília. No último fim de semana, cerca de 2 mil pessoas assistiam aos shows.

Havia 12 seguranças contratados para o evento. Ao G1, Érico Grassi disse que indicou Juliana para a abordagem pelo fato de ela ser mulher

“No momento em que todo mundo está cercado de outras atitudes de ódio e quer resolver tudo na bala, protagonizamos uma cena de gentileza.”

Apesar de a cena ter tido repercussão nas redes sociais, Grassi afirma que a atitude não é isolada. “É rotina em nossas festas. Não aceitamos qualquer tipo de intolerância, até porque o evento é de graça, todos podem entrar.”

“É possível resolver as coisas com carinho e respeito.”

‘Samba, Juliana, samba…’

Desempregada desde abril, Juliana concilia a busca por um emprego fixo com o serviço eventual de segurança de eventos. Formada em ciências contábeis, ela mora em Ceilândia e também tem cursos na área de segurança.

O gosto por samba, brinca, ajudou a ter mais coragem para subir ao palco e dançar. No momento em que a cena foi gravada, a banda 7 na Roda tocava uma música de Jorge Aragão, uma das favoritas dela.

“Não foi aqueeeele samba, mas foi bom”, brinca.

Fonte: G1/DF

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *