GRÊMIO TROPEÇA NO ALAMBRADO E NAS TRAVES DO PACAEMBU E INTER VENCE COPA SP DE FUTEBOL JR

Por Lino Tavares /Redação SOS BRASÍLIA

Gre-Nal da Copinha termina em 1 a 1, mas Inter leva a taça na decisão por pênaltis

Gre-Nal da Copinha termina em 1 a 1, mas Inter leva a taça na decisão por pênaltis

Como falei no comentário anterior, não haveria favoritos para a decisão da Copa São Paulo pela dupla Gre-Nal, mas o Internacional, até então quatro vezes campeão do torneio, levava uma tênue vantagem sobre o rival apenas no aspecto psicológico. Foi exatamente por questão de ordem psicológica que o Internacional superou o Grêmio na decisão por pênaltis e levou a cobiçada Copinha pela quinta vez para fazer morada no estádio Beira Rio. A gurizada gremista teve o jogo na mão, com tudo para conquistar seu primeiro título na competição, a partir do momento em que abriu o placar aos 8 min do segundo tempo,  no chute de Fabrício, que desviou em Tiago Barbosa, enganando o goleiro Émerson Jr. Quando abriu o placar no Pacaembu o Grêmio tinha o domínio absoluto do jogo, tendo exigido momentos antes um milagre do goleiro colorado para evitar o primeiro gol gremista que começava a nascer.  Mas a inconsequência do zagueiro Calegari colocou tudo a perder, quando cometeu a infantilidade de subir no alambrado para festejar o gol perante a torcida, sendo expulso com o segundo cartão amarelo. Com um jogador a menos, o Grêmio se perdeu em campo, permitindo ao Inter assumir o domínio das ações e chegar ao empate quatro minutos depois no gol de Guilherme Pato.   É verdade que, mesmo desfalcado, o time gremista se recompôs com algumas trocas de jogadores feitas pelo técnico Leonardo Müller e, mesmo jogando para se defender, quase chegou ao segundo gol, que poderia ter lhe garantido melhor sorte nessa decisão. Vale dizer contudo que, nos momentos difíceis do 10 contra 11 enfrentados pelo time tricolor, o Internacional criou chances vivas de gol que obrigaram o goleiro gremista Adriel a praticar defesas dificílimas. Quando o placar de 1 a 1 se arratava para o final do confronto, levando a decisão para a cobrança de pênaltis, a primeira coisa que me veio à cabeça foi que os colorados estavam melhor preparados psicologicamente para esse tipo de decisão. Não é difícil entender por quê. Enquanto doía na alma dos tricolores  a frustração do empate cedido logo após a besteira feita pelo companheiro expulso, entre os escarlates  reinava a alegria  de haverem alcançado o empate, impedindo a perda da decisão no tempo regulamentar. Isso ficou cristalizado nos erros dos cobradores gremistas, que denotaram intranquilidade chutando no poste em três oportunidades, ao contrário dos cobradores colorados que não erraram nenhuma cobrança, já que o pênalti não convertido foi em razão de uma estupenda defesa do goleiro do Grêmio. Deixando de lado o refrão que diz “o primeiro milho é dos pintos”, é hora de o Grêmio “colocar as barbas de molho”, pensando seriamente numa forma de corrigir os erros que o têm levado a tropeços neste início de temporada. Ainda não chegamos ao final de janeiro e o tricolor gaúcho já acumula a perda de dois títulos (Recopa gaúcha e Copa São Paulo), que podem não representar muito na história de conquistas do clube, mas soam como um sinal de alerta de que algo precisa ser feito para melhorar as condições técnicas e psicológicas desse Grêmio que vem aí. Até porque, além da perda desses dois títulos, o tricolor largou muito mal no início do Gauchão, levando 2 a 0 do Caxias, algo que se não assusta em termos de classificação mexe com os brios do torcedor apaixonado, que quer ver seu time vencer sempre e corresponder a todas as expectativas. 

Fale com nosso colunista,Lino Tavares: [email protected] – whatsApp (55)991778107 

Foto: UOL

Compartilhe:

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *