São Paulo “dança” na altitude boliviana e frustra aproveitamento 100% dos brasileiros na estreia da Libertadores

Por Lino Tavares 

BINACIONAL X SÃO PAULO.jpg

Tricolor sai na frente, mas cansa e cede ao Binacional os dois gols da virada

Por pouco os clubes brasileiros não tiveram um aproveitamento de cem por cento na estreia da fase de grupos da Copa Libertadores. Isso só não aconteceu porque o São Paulo perdeu para o Binacional, nesta quinta-feira no estádio Guillermo  Briceño, em Juliaca, na Bolívia,  pelo placar ajustado de 2 a 1. O tricolor paulista começou bem a partida, com um toque de bola convincente fruto do qual conseguiu abrir o placar com um belo gol de Alexandre Pato, aos 20 minutos do primeiro tempo. Mas havia um adversário oculto que, mais cedo ou mais tarde,acabaria se aliando ao dono da casa, roubando energias do time visitante e neutralizando assim a superioridade técnica do representante brasileiro em relação ao contendor boliviano.  Refiro-me – é fácil perceber – à altitude de 3.800 metros do palco do jogo, que logicamente representaria fator de maior desgaste ao time  visitante, exigindo-lha esforço redobrado para encarar o adversário de igual para igual até o fim do jogo.  Olhando por esse ângulo, a derrota são-paulina até pode ser justificada de alguma forma, mas a torcida do São Paulo não pode estar satisfeita com o resultado adverso, porque outros brasileiros já atuaram em altitudes semelhantes a essa e conseguiram importantes vitórias históricas no torneio continental.  O desconforto do resultado desfavorável torna-se um pouco mais dolorido, considerando que o clube paulista perdeu de virada, sofrendo o gol da derrota aos 32 minutos da etapa final, num chute de Arango, de fora da área, que o goleiro do tricolor bem poderia ter evitado, sem muito esforço Outro motivo de apreensão decorrente da derrota é que o São Paulo Paulo disputa vaga em seu grupo como dois clubes que possuem título de campeão da Libertadores, River Plate e LDU, equipes que poderão somar seis pontos cada uma em cima do Binacional, deixando o time do Morumbi numa saia justa para conseguir classificação para a etapa seguinte do certame continental. Grêmio, Flamengo, Santos, Palmeiras, Internacional e Athletico Paranaense, que começaram com vitória nessa etapa da Libertadores, vivem momento psicológico bem mais favorável do que o São Paulo, pois além de terem vencido na estreia integram grupos menos difíceis do que o do São Paulo, que precisará matar pelo menos um dos leões que disputam vaga no Grupo D, se quiser continuar vivo no torneio mais importante do continente americano.  

Fale com nosso colunista Lino Tavares: [email protected] – whatsApp (55)991778107 

Foto: UOL 

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *