BOLSONARO ESTÁ CADA VEZ PIOR. VAI ACABAR INTERNADO, JUNTO COM ADÉLIO, JÁ QUE O IMPEACHMENT PARECE IMPOSSÍVEL

Por Renato Riella*

O Brasil de hoje está a cada momento mais dividido.
Bolsonaro solta gargalhadas ao perceber isso – e bota pra quebrar, sacode as poeiras, quebra tabus e dá bananas públicas.

De um lado, existe gente politicamente correta, pessoas do bem, com alto prestígio social, geralmente escolarizadas, que fazem qualquer jogo sujo para o Brasil fracassar. Estranho, muito estranho!

Do outro, há um público crescente formado por pessoas comuns, que nunca questionam se são do bem. Estas se comportam como os seus pais e avós. Querem trabalhar, estudar, levar filhos e netos para comer pizza no fim de semana. Gostariam de ver o Brasil melhorar e, cada vez mais, se manifestam nesta direção.

Numa mesma casa, ou num mesmo trabalho, pode haver gente representativa dos dois casos.

Nas redes sociais, esses dois grupos se manifestam de forma civilizada, democrática, algumas vezes saindo do tom, mas se suportando. Sabem que a vida não vai acabar agora.

Todos esses terão de conviver em outros governos, porque sobreviverão.

Uma coisa é certa: em sete meses de mandato, o Presidente Bolsonaro deve ter roubado muito bem, porque não apareceu nenhum escândalo. Deve ser um gênio nessa área.

Os politicamente corretos vibram quando veem entrevista na TV Portuguesa da fracassada atriz Lucélia Santos, que fez apenas uma novela, Escrava Izaura, há 40 anos.

Ela mora no estrangeiro e vive falando mal do Brasil. Teve a atitude criminosa de dizer, sendo aplaudida em programa esquerdista português, que no nosso país, de dois em dois dias, é assassinado uma importante liderança indígena. Sem prova, sem nomes, sem local – sem vergonha.

As pessoas que vivem no Brasil como antigamente nem assistem esses programas de esquerda e gritam “mito, mito”, quando veem Bolsonaro num estádio, numa churrascaria ou numa igreja.

A esquerda está sem uma mínima visão crítica. Não percebe que 20 pontos para perder uma Carteira de Motorista é um abuso. É tanto abuso que os Detrans, em todo o Brasil, não cumprem a lei e deixam impunes a maioria desses infratores de trânsito. Não há estrutura para punir tanta gente.

Bolsonaro é povão, de dar arroto e pum, e sente o povo de igual para igual.

O brasileiro comum apoia Bolsonaro e concorda que existe uma monstruosa “indústria de radares”, somente instalada para nos roubar nas cidades e estradas, sem critério nem explicação lógica.

Da mesma forma, obrigar uma pessoa com mais de 60 anos a tirar nova Carteira de Motorista de três em três anos é grave discriminação e falta de confiança no cidadão brasileiro.

E vem o mais grave: como punir, com multa e apreensão de veículo, o pai, mãe ou avô que eventualmente conduzir uma criança sem a “cadeirinha”. Pergunto: quem não? – quem não?

Criar filho é tarefa de herói. Muitas vezes, todos nós já fomos buscar uma criança na escola ou numa festa, esquecendo este equipamento obrigatório por lei.

Imagine ficar na rua, com o bebê no colo, porque um policial insensível decidiu cumprir a lei!

Bolsonaro se diz maluco (e é), mas capta no ar as sensibilidades do cidadão comum e das famílias banais.

Estes são os mais sacrificados por leis feitas por abonados seres “politicamente corretos”.

A chamada “maioria silenciosa” viu o candidato Paulinho da Força dizer que não aprovaria a Reforma da Previdência para não reeleger Bolsonaro em 2022. E os politicamente corretos não se arrepiaram com esta atitude criminosa.

O presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, do time deste Paulinho, deu demonstração de força ao aprovar a Reforma amplamente. A confiança explodiu na Bolsa de Valores, que foi aos fantásticos 106 mil pontos.

Combinando com Paulinho da Força Maligna, Rodrigo Maia manobrou e não botou a Reforma em votação no segundo turno, projetando esta discussão para depois de agosto.

Alegou que a Câmara está em recesso. Mentira! O Congresso não pôde entrar em recesso porque, dentro do processo de sabotagem contra o governo, fez um “recesso branco “(fraude) e viajou para férias aqui e ali. A Reforma passará por novos debates e novas chantagens.

O povo não é bobo e nem a TV Globo consegue esconder tanta safadeza.

E assim Bolsonaro vai ficando mais desaforado.

Ele será a cada momento mais duro contra governadores petistas que comprometem o Nordeste, tentando derrubar o Presidente.

Mas cadê os pedidos de impeachment?

Esses governadores, tipo o péssimo Flávio Dino, do Maranhão, precisam desesperadamente da Reforma da Previdência, mas fizeram campanha aberta contra este projeto do governo. Malucos!

Mesmo assim, têm ampla solidariedade da população politicamente correta, que torce para o Brasil se fuder. Protegem bandidos.

E assim segue.

Mas segue bem.

A Reforma da Previdência vai acabar sendo aprovada. E o Governo Federal terá um segundo semestre ótimo.

Teremos ótimo Natal.

Lucélia Santos será aplaudida em áreas esquerdistas da Europa ao dizer que, no Brasil, o Governo tortura até o Papai Noel.

E Bolsonaro será aplaudido de pé quanto o Palmeiras ganhar o Brasileirão.

Quem viver (e vocês viverão) verá. Me cobrem. 

*RENATO RIELLA é jornalista e colunista convidado especial do sosbrasilia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *