Coronavírus: Ibaneis anuncia que vai flexibilizar abertura de bancos no DF

Segundo governador, medida é para viabilizar recebimento de benefícios para amenizar impactos da pandemia de coronavírus. Decreto está previsto para esta terça-feira (7).

Por G1 DF e TV Globo

Governador Ibaneis Rocha em entrevista ao DF1  — Foto: TV Globo/reprodução

Governador Ibaneis Rocha em entrevista ao DF1 — Foto: TV Globo/reprodução

O governador Ibaneis Rocha (MDB) anunciou que vai liberar a abertura dos bancos no Distrito Federal. Em entrevista ao DF1, nesta terça-feira (7), o chefe do Buriti afirmou que um decreto com a autorização pode ser assinado ainda durante a tarde.

As agências bancárias estão incluídas no grupo que teve as atividades suspensas no dia 19 de março. A medida faz parte das ações de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus.

A mudança nas regras do funcionamento de agências bancárias é anunciada por Ibaneis após o Ministério da Saúde propor a redução parcial do isolamento em cidades e estados com metade dos leitos e estrutura de saúde vagos (saiba mais abaixo). A medida passaria a valer na segunda-feira (13).

Segundo Ibaneis, o objetivo com a flexibilização nos bancos é viabilizar recebimentos de recursos, como linhas de crédito e o saque de benefícios para amenizar os impactos econômicos da pandemia de coronavírus.

“Vamos liberar redes bancárias porque as pessoas vão ter acesso a recursos que o governo federal está liberando.”

Pela manhã, a Caixa Econômica Federal disponibilizou os canais de cadastramento para os trabalhadores informais pedirem o auxílio emergencial de R$ 600 – uma das medidas anunciadas pelo governo federal.

Na última sexta-feira (27), o GDF já tinha ampliado o funcionamento de lotéricas e lojas de conveniência em postos de gasolina no Distrito Federal.

Flexibilização recomendada

A recomendação do Ministério da Saúde é para que cidades com mais de 50% da capacidade de atendimento médico disponível passem do Distanciamento Social Ampliado (DSA) para uma transição ao Distanciamento Social Seletivo. Na prática, ficariam isoladas pessoas em grupo de risco, como idosos ou quem tem comorbidades.

  • Ao comentar a orientação do Ministério da Saúde, o governador do DF citou a flexibilização nos bancos como uma das “medidas seletivas” que serão tomadas na capital, mas defendeu manter o isolamento “para quem puder ficar em casa”.

“Técnicos do próprio Ministério da Saúde apontam que o agravamento dessa crise vai ocorrer exatamente [entre] segunda quinzena de abril e início de maio. Eu não consigo compreender de onde o Ministério da Saúde tirou essa informação [da flexibilização]”, disse Ibaneis.

O governador avaliou que o DF apresenta “resultados positivos” e defendeu as medidas de restrições tomadas ainda em março.

“Nós só estamos colhendo resultados positivos exatamente porque tomamos as medidas duras e elas precisam ser mantidas em sua grade maioria para que a população consiga se defender do coronavírus”.

Fonte: G1/DF

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *